Visão Geral

Não importa o lugar, a forma, a estrutura ou a distância. Uma ponte sempre é vista como um marco, uma construção que traz novas perspectivas de desenvolvimento, aproxima pessoas e integra mundos antes afastados.

Promover essa integração entre regiões é uma possibilidade real no Estado da Bahia. Separadas por 12km sobre o mar, a capital Salvador e a Ilha de Itaparica estão mais isoladas entre si do que a distância aparente indica.

A construção de uma ponte ligando esses dois pontos aproxima não apenas a capital à ilha, mas abre novas possibilidades para diversas regiões do estado, como o sul do Recôncavo, Baixo Sul, Oeste da Bahia, além de todo o litoral sul e Região Metropolitana.

MAPA

Como pode ver, para promover a integração de todas essas regiões, também serão realizados diversos investimentos adicionais na infraestrutura viária da região, incluindo:

• Construção dos acessos viários na ilha e cidade de Salvador;
• Redefinição do traçado da BA-001 na Ilha de Itaparica;
• Duplicação da Ponte do Funil, entre Vera Cruz e Jaguaripe;
• Requalificação da BA-001 e BA-046 até Santo Antônio de Jesus;
• Construção de trecho de rodovia (aproximadamente 58km), entre Santo Antônio de Jesus e Castro Alves;
• Requalificação da ligação viária entre Castro Alves e a BR-116;
• Novas avenidas em Salvador.

A Ponte Salvador–Ilha de Itaparica será projetada de forma a permitir melhores condições de mobilidade e alto nível de serviço no longo prazo. Segundo os estudos preliminares, a Ponte deverá ter aproximadamente 12 km de extensão, por 32m de largura, o que permite a criação de seis faixas de tráfego e duas pistas de acostamento. Seu traçado deve partir das proximidades do Porto de Salvador e se estender até a região de Gameleira na Ilha de Itaparica.

A proposta inicial prevê que a Ponte deve permitir a ampla navegação na Baía de Todos-os-Santos (BTS) e o acesso ao Porto de Salvador. Há ainda a possibilidade de uma alternativa para o transporte de massa, que terá a viabilidade analisada nos estudos de engenharia.

projeto

Além disto, a Ponte será idealizada como uma obra de arte destinada a durar um século, com padrões estéticos compatíveis com a preservação paisagística da Baía de Todos-os-Santos e seguindo os padrões arquitetônicos mais modernos.

O projeto, de uma forma mais ampla, ainda contempla diversos estudos de infraestrutura regional, urbanísticos, de impacto ambiental e cultural e a criação de um plano de desenvolvimento socioeconômico para toda a macroárea, com foco no Recôncavo e Baixo Sul. Essas iniciativas são fundamentais para o desenvolvimento planejado da região e minimização dos impactos ambientais do projeto.